Biblioteca Popular do Coque

A Biblioteca Popular do Coque é o primeiro espaço de fomento à leitura na Comunidade do Coque, cidade do Recife. Foi iInaugurada, oficialmente, no dia 30 de julho de 2007.  É o resultado do encontro de instituições que, há décadas, lutam para transformar a realidade de carências de políticas públicas no bairro, com jovens que, através da comunicação e da cultura,  contestam o estigma negativo que pesa sobre a comunidade.

Juntos na empreitada, o Neimfa – Núcleo Educacional dos Irmãos Menores de Francisco de Assis, a Igreja São Francisco de Assis do Coque, o Mabi – Movimento Arrebentando Barreiras Invisíveis e universitários vinculados ao curso de Comunicação Social da Universidade Federal de Pernambuco.

A convergência resultou na formalização do que consideramos ser uma rede de promoção social através da criação de estatuto e cadastro de pessoa jurídica do Círculo de Histórias do Coque -diálogo, Educação e Cultura cuja meta inclui a dupla vocação de seus agentes: de um lado, a capacitação, produção e difusão de produtos culturais, como fotografias e vídeos-documentários; de outro, o  incentivo à prática leitora como formativa de crianças e adolescentes, através da disponibilização do acervo e do trabalho de mediação de leitura.

A construção da Biblioteca Popular do Coque começou em outubro de 2006. Na ocasião, reuniram-se jovens do Mabi, estudantes da UFPE e Frei Aluísio Fragoso, da Igreja São Francisco de Assis. Ao lado de Frei Aluísio, estava Maria Betânia, moradora do Coque e ex-bibliotecária, que nutria há muito o sonho de construir uma biblioteca na comunidade. A biblioteca seria construída a partir de doações e do acervo de Maria Betânia e Frei Aluísio, e funcionaria no salão paroquial da Igreja de São Francisco de Assis, dividindo o espaço com várias outras atividades, como a catequese e o grupo dos Alcoólicos Anônimos. Os estudantes da UFPE, por sua vez, tinham em mente ministrar uma oficina que despertasse nos jovens da comunidade a intimidade com os livros e, consequentemente, o prazer pela leitura.

Os sonhos são convergentes, a rede é formada e através do apoio institucional do Neimfa, o projeto ‘Biblioteca Popular do Coque’ é inscrito e aprovado no Programa BNB de Cultura 2007, o que possibilita que a Biblioteca tenha seu próprio espaço, numa pequena casa na Rua Centenário do Sul (a poucos metros da Igreja e do Neimfa.

Inicia-se o trabalho de capacitação e formação humana, a partir da realização de oficinas sistemáticas com adolescentes e crianças. Esse trabalho é realizado por jovens da comunidade e universitários cujo objetivo é pensar, através de práticas formativas, pedagógicas, lúdicas e intervenções culturais, como transformar o quadro de violência que domina o cotidiano de adolescentes e crianças do Coque.

A violência sobre a qual nos referimos não está compreendida apenas nos índices que apontam a violência e o baixo índice de desenvolvimento humano do bairro. Trata-se aqui especialmente de uma violência simbólica, explicitada por exemplo na maneira como os moradores do Coque se relacionam com seus direitos e no preconceito (e muitas vezes na rejeição) da cidade em relação a esses moradores.  A violência aqui é vista especialmente como a falta de autonomia do sujeito, como ausência da possibilidade de ser outra coisa que não essa peleja com a cidade.

Pensar criticamente a violência é tentar dar fôlego à escolha de não se mover apenas pela baixo autoestima causada por um processo histórico de desigualdade social que, apesar de forte, está arcaico, prestes a mudar, segundo cremos. A Biblioteca Popular do Coque existe, portanto, como um espaço de liberdade e criação de alternativas para um quadro que já conhecemos, e que entendemos ser possível mudar através de ideais de solidariedade, de não-violência, de paz.

É com esse ideal que a Biblioteca Popular do Coque funciona de segunda a sexta, disponibilizando um acervo de mais de três mil livros para a comunidade, realizando oficinas de música, línguas, reforço à alfabetização e atividades de mediação de leitura para crianças: porque as pessoas que a constroem a cada dia acreditam que a existência da Biblioteca Popular do Coque  estimulará na comunidade não só o gosto pela leitura, como também a valorização dessa pequena casa como um espaço legitimamente público, favorecendo o nascimento de vínculos positivos entre as pessoas e provocando, conseqüentemente, o despertar do papel social de cada um dentro dele.

Contatos:

Rua Centenário do Sul, 70, Coque – Recife PE – CEP:50080-490

Fone: 8830-3642 (Maria Betânia – coordenadora)// 3448.2048

www.bpcoque.com.br

 

Anúncios

2 pensamentos sobre “Biblioteca Popular do Coque

  1. Gostaria de saber se vcs aceitam doações de livros e uma caixa de revistas Superinteressante e Galileu anos 2000 a 2002?
    Também aceitam didáticos?

    • Livros de literatura são sempre bem-vindos, Broba, e as revistas tbm, acreditamos. Não dispomos, entretanto, de recursos para recolher o material. Vc poderia entregá-los a quaisquer das nossas bibliotecas, a que for mais acessível para vc. Na coluna do lado direito do blogue tem a relação, ao clicar abre uma página com o perfil de cada biblioteca, que inclui endereço e telefone.

      Obrigada pelo contato.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s